Ocasiões Especiais

Her

As vezes a gente precisa deixar as janelas abertas para que a felicidade possa entrar. E foi assim que rolou um dos momentos mais incríveis da minha vida. Abri as janelas em um momento onde tudo parecia estar meio empoeirado, mofado e enferrujado. Abri as janelas porque ao observar uma fresta bem pequena eu percebi que talvez compensaria deixar a luz entrar. Abri, e me ceguei. Era luz demais, luz que poderia ascender um planeta por inteiro. Era luz que não acabava mais. Mas aos poucos minha visão foi voltando, fui enxergando devagar cada detalhe dessa luz que entrava e me cobria de uma forma que nem a física, química ou matemática poderia explicar. Foi envolta desses braços de luz que me vi vívido de novo. As janelas abertas, os pássaros entraram e começaram a cantar. O ferrugem que antes era problema, agora é artigo para enfeitar. A poeira virou fumaça pra gente poder dançar, o mofo sumiu pois não resistiu a tamanho brilho que em mim penetrava. 


Hoje me vejo aqui inteiramente iluminado, cheio daquilo que nada nem ninguém conseguiria substituir. Cheio de motivo pra poder ir ali ou aqui, cheio de motivo pra fazer o mundo inteiro entender que amar é a única saída para aqueles que se encontram meio fechados. Lógico que existem dias de tempestade onde a gente quer fechar a janela e trancar por medo da chuva entrar. Mas, mar calmo nunca fez bom marinheiro. Deixo aberto faça chuva ou faça sol, não importa. O importante é saber que o grande motivo do sorriso tem nome, endereço e um sorriso lindo que se abre quando eu falo alguma palhaçada. Mas, é inevitável não existirem dias ruins, e são nesses dias ruins que eu entendo que aquilo que eu achava que era um grande motivo para as janelas ficarem abertas na verdade é o grande motivo de'u querer que as estruturas dessa morada continuem firmes. Eu sou morada que tem grande coração, abrigo somente quem eu quero abrigar. E por agora, abrigo alguém que eu quero que fique sem ter dia para poder voltar. 


A janela está aberta não para quem quiser entrar, mas, tem luz certa que eu prefiro receber. Não é as das 9 e nem as das 6. É luz que até a noite consegue me banhar com um brilho que eu já disse... nem a física, química ou matemática conseguem explicar.